Arquivo

Archive for dezembro \30\UTC 2011

Sugestões para 2012

Ed René Kivitz

#1
Não assuma compromissos do tipo “vou iniciar uma dieta”, “vou começar alguma atividade física”, “vou terminar o curso de inglês”. Esse tipo de coisa serve apenas para acumular culpa e frustração sobre os seus ombros.

#2
Não acredite nesse pessoal que diz que “sem meta você não vai a lugar nenhum”. Pergunte a eles por que, afinal de contas, você tem que ir a algum lugar. Trate esses “lugares futuros imaginários” apenas como referência para a maneira como você vive hoje – faça valer a caminhada: se você chegar lá, chegou, se não chegar, não terá do que se arrepender. A felicidade não é um lugar aonde se chega, mas um jeito como se vai.

#3
Não pense que você vai conseguir dar uma guinada na vida apenas mudando o seu visual. É a alegria do coração que dá beleza ao rosto, e não a beleza do rosto que dá alegria ao coração.

#4
Não faça nada que vá levar você para longe das suas amizades verdadeiras. Amizades levam um tempão para se consolidar e um tempinho para esfriar, pois assim como a proximidade gera intimidade, a distância fragiliza os vínculos.

#5
Não fique arrumando desculpas nem explicações para as suas transgressões. Quando cometer um pecado, assuma, e simplesmente diga “fiz sim, me perdoe”. Comece falando com Deus e não pare de falar até que tenha encontrado a última pessoa afetada pelo que você fez.

#6
Não faça nada que cause danos à sua consciência. Ouça todo mundo que você confia, tome as suas decisões, e assuma as responsabilidades. Não se importe em contrariar pessoas que você ama, pois as que também amam você detestariam que você fosse falso com elas ou se anulasse por causa delas.

#7
Não guarde dinheiro sem saber exatamente para que o está guardando. Dinheiro parado apodrece e faz a gente dormir mal. Transforme suas riquezas em benefícios para o maior número de pessoas. É melhor perder o dinheiro que ocupa seu coração, do que o coração que se ocupa do dinheiro.

#8
Não deixe de se olhar no espelho antes de dormir. Caso não goste do que vê, não hesite em perder a noite de sono para planejar o que vai fazer na manhã seguinte. Ao se olhar no espelho ao amanhecer, lembre que com o sol chega também a misericórdia de Deus: a oportunidade de começar tudo de novo.

#9
Não leve mágoas, ressentimentos e amarguras para o ano novo. Leve pessoas. Sendo necessário, perdoe ou peça perdão. Geralmente as duas coisas serão necessárias, pois ninguém está sempre e totalmente certo. Respeite as pessoas que não quiserem fazer a mesma viagem com você.

#10
Não deixe de se perguntar se existe um jeito diferente de viver. Não acredite facilmente que o jeito diferente de viver é necessariamente melhor do que o jeito como você está vivendo. Concentre mais energia em aprender a desfrutar o que tem do que em desejar o que não tem.

#11
Não deixe o trabalho e a religião atrapalharem sua vida. Cante sozinho. Leia poesias em voz alta. Participe de rodas de piada. Não tenha pressa de deixar a mesa após as refeições. Pegue crianças no colo. Ande sem relógio. Fuja dos beatos.

#12
Não enterre seus talentos. Nem que seu único tempo para usá-los seja da meia noite às seis. Ninguém deve passar a vida fazendo o que não gosta, se o preço é deixar de fazer o que sabe. Útil não é quem faz o que os outros acham importante que seja feito, mas quem cumpre sua vocação.

#13
Não crie caso com a mulher ou com o marido. Nem com o pai nem com a mãe. Nem com o irmão nem com a irmã. Caso eles criem com você, faça amor, não faça a guerra. O resto se resolve.

#14
Não jogue fora a utopia. Ninguém consegue viver sem acreditar que outro mundo é possível. Faça o possível e o impossível para que esse outro mundo possível se torne realidade.

#15
Não deixe a monotonia tomar conta do seu pedaço. Ninguém consegue viver sem adrenalina. Preste bastante atenção naquilo que faz você levantar da cama na segunda-feira: se for bom apenas para você, jogue fora ou livre-se disso agora mesmo. Caso não queira levantar da cama na segunda-feira, grite por socorro.

#16
Não deixe de dar bom dia para Deus. Nem boa noite. Mesmo quando o dia não tiver sido bom. Com o tempo você vai descobrir que quem anda com Deus não tem dias ruins, apenas dias difíceis.

#17
Não negligencie o quarto secreto onde você se encontra com seu eu verdadeiro e com Deus – ou vice-versa. Aquele quarto é o centro do mundo – o mundo todo cabe lá dentro, pois na presença de Deus tudo está e tudo é.

#18
Não perca Jesus de vista. Não tente fazer trilhas novas, siga nos passos dEle. O caminho nem sempre será tão confortável e a vista tão agradável, mas os companheiros de viagem são inigualáveis.

#19
Não caia na minha conversa. Aliás, não caia na conversa de ninguém. Faça sua própria lista. Escolha bem seus mestres e suas referências. Examine tudo. Ouça seu coração – geralmente é ali que Deus fala. Misture tudo e leve ao forno.

#20
Não fique esperando que sua lista saia do papel. Coloque o pé na estrada. Caso não saiba por onde começar, não tem problema. O sábio disse ao caminhante que “não há caminho, faz-se caminho ao andar”.

fonte: Blog do Ed René Kivitz

Anúncios
Categorias:Sem categoria

Dupla André e Felipe prepara dois novos clipes

Dupla comemora o lançamento do quinto CD, “Chuva de Poder” e grava dois novos videoclipes. Confira!

Dupla, André e Felipe Foto: Jarvas Iunovich

A dupla André e Felipe lança o seu mais novo álbum, intitulado “Chuva de Poder”, segundo pela Uni Records. Para completar o momento especial, a dupla gravou dois videoclipes em locais belíssimos na região sul do Brasil e no Paraguai. As canções “Chuva de Poder” e “É Milagre” foram as escolhidas. Confira nesta entrevista como foi!

Onde os videoclipes foram gravados?

André e Felipe: Inicialmente, nós gravamos nas Cataratas em Foz do Iguaçu, no Paraná. Um lugar maravilhoso que é hoje uma das oito maravilhas do mundo. A área das Cataratas do Iguaçu é formada por cerca de 280 quedas de água no Rio Iguaçu (na Bacia hidrográfica do rio Paraná), localizada entre o Parque Nacional do Iguaçu, Paraná, no Brasil, e o Parque Nacional Iguazú em Misiones, na Argentina, fronteira entre os dois países. Gravamos também alguns trechos nas ruínas jesuíticas, no Paraguai. Estas fundações religiosas foram criadas no ano 1609 e são consideradas uma das mais impressionantes criações da tarefa evangelizadora realizada pelos Jesuítas. O local apresenta muitos monumentos históricos, o que enriqueceu o material captado para os videoclipes. Tanto as cataratas quando as ruínas jesuítas foram declaradas Patrimônio da Humanidade. Gravamos ainda na Praça da Paz, na Tríplice Fronteira e em Foz do Iguaçu, entre o Brasil, Argentina e Paraguai.

Porque escolheram esses lugares? Qual a relação com as canções?

André e Felipe: Nós gostamos bastante da natureza, gostamos de ter contato com o que Deus criou. Nosso desejo era mostrar a grandeza de Deus. Nesse sentido, as Cataratas se encaixaram perfeitamente na proposta da canção “Chuva de Poder”. Foi uma experiência fantástica o que vivemos naquele lugar. Deus agiu poderosamente. As tomadas que fizemos nas ruínas jesuíticas fizeram parte da canção “É Milagre”. Essa gravação também foi especial considerando o ambiente onde estávamos. Para completar o trabalho contamos com a participação, na Praça da Paz, da Juventude da Igreja Assembleia de Deus de Foz do Iguaçu e toda a nossa banda. Sem dúvida, a presença deles fez a diferença. Assim como nas produções de nossos primeiros videoclipes, contamos com uma equipe de profissionais especializados nesse trabalho. Aprendemos muito com toda a equipe.

Quem produziu os clipes?

André e Felipe: Optamos pela produtora ZEPA VÍDEO de Foz do Iguaçu (PR) para a produção dos vídeos. Assistimos alguns trabalhos da empresa e gostamos do resultado. Como nosso desejo era fazer vídeos com alto padrão de qualidade, entendemos que a ZEPA VÍDEO era o que procurávamos. Gostamos muito do resultado alcançado.

O que os videoclipes trazem de novidade?

André e Felipe: A grande novidade dessas gravações foi a utilização de um hexacoptero para a captação de imagens aéreas. Esta foi uma das estratégias para enriquecer ainda mais o material produzido. Uma equipe de dez profissionais esteve envolvida na produção. Acreditamos que estes videoclipes vão surpreender ainda mais o público. Cada um da equipe trabalhou com excelência.

Qual a importância da presença do público?

André e Felipe: A ideia de convidar a Juventude da Assembleia de Deus de Foz do Iguaçu para participar das gravações foi brilhante. Eles participaram de forma especial. Desta vez utilizamos da dramatização para passar com mais intensidade o que nossas canções querem dizer. As pessoas que compareceram às gravações nos ajudaram muito com isso. A juventude completou a equipe de atores que nós precisávamos. A ajuda deles foi muito importante.

O que o público pode esperar?

André e Felipe: Uma produção de qualidade. Fizemos algo bem diferenciado no mercado gospel. O mais importante foram, sem dúvida, a unção e a graça de Deus. Nosso desejo é que tudo o que fizemos realmente alcance muitos corações que precisam do Senhor. Nosso foco principal é ganhar almas para o Reino de Deus.

Qual a previsão para publicação dos clipes?

André e Felipe: Nossa previsão é que os dois clipes estejam disponíveis até o fim do mês de dezembro. Contamos com a intercessão de vocês. Que o nome do Senhor seja glorificado nos dois trabalhos.

Conheça mais da dupla “André e Felipe” acessando: www.andreefelipeoficial.com.br

Colaboração: Janaina Mangerote

Kaká afirma que pode ser pastor e abrir templo

 

Em entrevista recente, jogador evangélico Kaká voltou a abordar o assunto de sua saída da igreja Renascer em Cristo e afirmou que não descarta a possibilidade de abrir uma igreja própria e até de vir a se tornar pastor.

O atual atacante do time espanhol Real Madrid deu uma entrevista a Jorge Kajuru no programa Esporte Interativo onde tenta falar sobre os planos futuros mas na maior parte do tempo ele coloca nas ‘mãos de Deus’.

“Não sei quais são os planos de Deus. Nunca imaginei jogar no Real Madrid ou ser o melhor jogador do mundo, e cheguei a isso”, disse ele

Kaká comentou sobre o seu desligamento da Igreja Renascer mas não quis expor os motivos. “Não faço mais parte da instituição igreja. Continuo cristão e evangélico, ouço outros pastores, mas naquele momento achei que era hora de me desligar”.

“é um exposição desnecessária para mim, para eles (casal Hernandes) e para a igreja”, completou. Ele disse que os motivos foram expostos entre eles, mas a amizade e o relacionamento foi mantido.

Kaká alegou ainda que nunca teve acesso a informações que saíram na mídia sobre o suposto desvio de dinheiro ou má utilização de recursos. “Nunca tive acesso a informações, na questão organizacional, nunca participei e nunca tive interesse”, concluiu.

Apesar de não descartar a hipótese de vir a se tornar pastor e abrir uma igreja ele afirmou: “sou jogador de futebol. E a forma que tenho para pregar o evangelho hoje é por meio de minha profissão”.

O jogador ainda afirmou que, caso quisesse voltar ao Brasil, sua prioridade seria o São Paulo, clube que o revelou. O meia preferiu não fechar as portas para outros times brasileiros, mas destacou sua preferência pelo clube do Morumbi.

“O São Paulo pode também não querer e dizer: ‘já deu o que tinha que dar e não quero o Kaká’. E aí se eu quisesse realmente jogar no Brasil eu jogava em outro clube. Eu não fecho as portas. No futebol, na vida, a gente nunca sabe o que pode acontecer, mas a porta para jogar no São Paulo está muito mais perto do que a do Corinthians, do Palmeiras”, disse.

Finalmente, o jogador chegou a falar de aposentadoria caso o São Paulo não o quisesse. Segundo ele existem vínculos fortes com o clube paulistano, já que foram 13 anos passados lá. “Não é que eu passei pelo São Paulo, eu cresci e vivi lá, então a prioridade será sempre deles”, explicou.

Fonte: The Christian Post

Categorias:Sem categoria Tags:, , ,

CD Aliança do pastor André Valadão é disco de Ouro

Em apenas dois dias, mais de 50 mil cópias vendidas

Pastor Márcio Valadão, André Valadão e Nelson Tristão

 

Os números são reais. 50 mil cópias vendidas em apenas dois dias. O pastor André Valadão, da Igreja Batista da Lagoinha em Belo Horizonte, está rindo à toa. Essa semana ele recebeu o Disco de Ouro pelas 50 mil cópias vendidas do seu mais recente CD Aliança. A entrega foi realizada na ocasião em que o cantor lançou o novo álbum na IBL.

“Realmente, não esperava e não tinha ideia que já tínhamos superado esta marca. Deus realmente tem nos surpreendido em cada detalhe deste disco”, comemorou André. A premiação chega em boa hora, uma vez que ao mesmos tempo comemora o aniversário de 54 anos da IBL.

A reunião contou com a presença do pastor Márcio Valadão, pastor presidente de Lagoinha e também pai do cantor, que orou abençoando a igreja pela sua história e pelo sucesso do CD Aliança. Na reunião, André ministrou canções do “Aliança” e também compartilhou sobre a intensa agenda que vem cumprindo com sua banda nos últimos meses pelo Brasil. “Hoje estamos aqui lançando o CD com a minha banda, que é minha família. Temos viajado juntos para tantos lugares e é muito bom estar aqui com todos eles apresentando este novo trabalho para vocês”.

De acordo com Nelson Tristão, diretor da OniMusic, responsável pela distribuição do “Aliança”, o CD vendeu 50 mil cópias em apenas dois dias. Para o produtor do CD Ruben di Souza, que também marcou presença no lançamento, só há o que agradecer a Deus por este projeto. “Em pensar que venderam 50 mil cópias e já se esgotaram e que uma nova remessa está chegando é benção demais”.

O CD Aliança está disponível nas principais lojas do Brasil e pela Internet no site http://www.lojaav.com

Detalhes

André Valadão (www.andrevaladao.com) é cantor e pastor voluntário na Igreja Batista da Lagoinha há 11 anos, onde dirige uma reunião todas as terças-feiras, com público médio de seis mil pessoas. Há sete anos está em carreira solo, com mais de 1,5milhão de CDs vendidos e mais de 200mil DVDs.

Categorias:Sem categoria Tags:, , , ,

Festival Promessas vai ao ar hoje na Globo

Davi Sacer

Davi Sacer

Mais de 100 mil pessoas se reuniram na tarde e noite de sábado (10), no Aterro do Flamengo, na Zona Sul do Rio de Janeiro, para a gravação do Festival Promessas, especial de fim de ano que a TV Globo, que será exibido hoje (18) , após Aventuras do Didi.

Em um enorme palco montado em frente ao Monumento aos Pracinhas passaram grandes nomes da música gospel: Diante do Trono, David Sacer, Fernanda Brum, Fernandinho, Regis Danese, Damares, Ludmila, Pregador Luo e Eyshila. Veja abaixo um aperitivo do que irá ao ar na telinha da Globo!

Principais nomes da música gospel reunidos no palco do Festival Promessas

O apresentador Serginho Groisman fez um discurso de abertura e anunciou a primeira atração: “A música é o elo entre Deus e o homem. Abrindo o Festival Promessas de 2011, Pregador Luo”. O rapper subiu ao palco cantando a música “Aproveite a festa.”

 

Jô Soares brinca com a Bíblia e gera abaixo-assinado

O apresentador da TV Globo, Jô Soares, durante a exibição de um vídeo sobre o grupo Novos Baianos, onde um personagem fala que a banda fazia cigarros de maconha com páginas da Bíblia, brincou dizendo que a Bíblia tem “mil e uma utilidades”. A ironia foi repudiada por um grupo de pessoas que está movendo um abaixo-assinado para que Jô se retrate sobre tais comentários feitos no mês de novembro.

Numa entrevista com os cantores Tom Zé e Morais Moreira, o personagem do vídeo exibido, que afirmava fumar maconha com páginas da Bíblia, disse em tom de piada: “No fim de dois meses, a Bíblia ficou fininha. Eu usava o papel todo. Deus me perdoe. O baseado feito na folha de Apocalípse”, disse, se benzendo e rindo.

Assista ao vídeo:

Meu sonho de um Brasil transformado

Texto de Ana Paula Valadão, publicado em seu blog pessoal, que vale a pena ser lido, comentado e ruminado!

Postado dia 13 de dezembro de 11

Ana Paula Valadão Foto: Quartel Design

Ana Paula Valadão Foto: Quartel Design

Eu me lembro de, ainda adolescente, começar a ouvir de pregadores sobre o sonho de um Brasil transformado pelo poder do evangelho. Conheci pessoas que passavam horas de oração em favor do país, clamando a Deus que mudasse nossa história. Gente que jejuava (e ainda jejua!), às vezes por anos em constantes votos, sem comer delícias. Gente que chorava (e ainda chora) diante de Deus e declarava a Palavra com as promessas de restauração da terra.

Foi impactante para mim quando alguns textos bíblicos saltaram diante dos meus olhos e incendiaram o meu coração. Textos como II Crônicas 7:14 e o capítulo 62 de Isaías. A descrição do rio de Deus que leva cura para as nações, descrito em Isaías 47 e em Apocalipse 20, viraram canção. E muitos outros textos, sobre os quais baseei minha fé e esperança para a transformação do país e do mundo, têm me sustentado quando me sinto desencorajada.

Talvez o que mais me influenciou foi o testemunho de vários países que já têm experimentado transformação. Este termo foi tema de um congresso que reuniu líderes cristãos do mundo inteiro na Indonésia em 2005. Ali ouvi e vi relatos de transformação de situações que pareciam impossíveis, como guerras, miséria, injustiça social, violência, e até a própria natureza morta revivendo miraculosamente. O poder do arrependimento dos pecados, a unidade da Igreja em oração desesperada, e a visitação de Deus trazendo avivamento são marcas destes testemunhos. Depois deste congresso também participei de diversos outros eventos em que este assunto foi estudado, e por meio de livros e vídeos, um constante reencorajamento veio ao meu coração.

Foi numa madrugada em 2001 que o Senhor me acordou e fui orar na sala do nosso pequeno apartamento. Ali, de joelhos, vi o mapa do Brasil e uma chamada de televisão convocando as pessoas para grandes ajuntamentos em que oraríamos pela nação. Luzes se acendiam nos Estados e mostravam imagens dos ajuntamentos. O texto de II Crônicas 7:14 era o tema. Naquela noite o Senhor me disse que deveríamos sair de BH realizando estes grandes eventos, a começar pelo Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília. Não preciso aqui contar toda a história. Quem nos acompanha sabe que tenho buscado ser fiel ao chamado celestial. Ano após ano, e de acordo com a revelação do Alto, que é progressiva, temos viajado e reunido pessoas com esse propósito por todo o Brasil.

Num de nossos Congressos em BH, onde se reúnem milhares de pessoas do país e do exterior, o tema foi “A Igreja não é ponto de chegada, e sim de partida”. Também aprendemos sobre a conquista de novos territórios para a expansão do Reino. Ouvimos sobre os “sete montes da sociedade” e houve um momento em que o Espírito Santo me entregou palavras de conquista para cada um deles: Governo, economia, ciência, educação, artes, religião e família. Foi muito forte profetizar sobre o monte da mídia, das artes e entretenimento. Há alguns anos o Senhor já vinha falando sobre a conversão de diversos artistas e temos visto isso acontecer. Mas, a palavra desta vez era a de que haveria uma abertura muito maior nos veículos de comunicação seculares para os artistas evangélicos, em programações que não podíamos imaginar. Eu não pensei que estaria pessoalmente incluída no cumprimento desta palavra profética, mas, para minha surpresa, ali estava eu, apenas duas semanas depois da profecia liberada, participando de um programa na TV aberta brasileira, o Programa Raul Gil.

De lá pra cá muitas portas foram se abrindo. Depois de um longo processo de oração e mudanças no nosso ministério, fechamos a parceria com a Som Livre, para a distribuição dos nossos produtos. Certa vez, quando ainda estávamos acertando o passo, aprendendo a trabalhar com eles e eles conosco, quase terminamos a parceria. Foi então que aconteceu um evento em São Gonçalo, no Rio de Janeiro, e os executivos da Som Livre e alguns da Globo vieram pessoalmente nos prestigiar (Aliás, esse evento e outros, em locais tão carentes, como no Complexo do Alemão, têm sido possíveis por meio deles e de outras instituições não evangélicas).

Foi a primeira vez que os conheci pessoalmente e ao abraçá-los meu coração disparou. Um amor profundo por suas almas apertou o meu peito e agradeci a Deus a oportunidade de estar com pessoas não crentes. Naquele dia conversei com meus [assessores] e baseada nesse desejo de estar perto dessas pessoas, de ser sal e luz nesse mundo, e de chegar aonde ainda não chegamos com a pregação do Evangelho, me fez permanecer trabalhando com esta empresa secular. Os ponteiros foram se ajustando, e estamos muito felizes com a relação tão ética e agradável com estes novos amigos. Houve outros momentos de dúvidas, de questionamento desta parceria, mas o Senhor sempre me levou de volta ao início, quando me disse que queria que invadíssemos, que chegássemos aonde ainda não havíamos ido com a mensagem que nos entregou.

O que eu não podia imaginar era que a mais alta montanha da mídia brasileira, a Rede Globo, seria conquistada. Uma coisa eram os comerciais dos CDs e DVDs lançados pela Som Livre, veiculados em rede nacional, e que já eram importantes inserções. Eu ficava muito feliz imaginando as pessoas decidindo ouvir um CD evangélico pela primeira vez. Mas a parceria com a Som Livre não nos prometia nada além desses comerciais. A programação da Globo tem prestigiado as mais diversas gravadoras, e não apenas seus próprios artistas. Então, vieram oportunidades de participar de programas de grande audiência, como o Domingão do Faustão. Em 17 minutos falei a mais pessoas do que em toda a minha vida ministerial. Mas ir além disso, e entrar na programação da TV Globo era algo que eu nunca havia imaginado.

Uma série de milagres (eventos orquestrados pela mão de Deus) aconteceram e o Festival Promessas recebeu o apoio de todas as empresas Globo. O que inicialmente seria um evento pequeno, tomou proporções enormes, e a Globo investiu na estrutura, na divulgação, e o mais assustador, abrindo uma hora e meia na programação de Domingo à tarde, 18 de Dezembro. Nas palavras de um dos diretores, isso não acontece há mais de dez anos na empresa! Durante todo o processo de estruturação do evento, de convite aos artistas, vi a preocupação ética de unir todas as gravadoras, representantes de todos os estilos, e de respeitar nossa fé. Em nada temos sido tolhidos. Pelo contrário, todas as pessoas não evangélicas, com as quais temos trabalhado, têm sido extremamente respeitosas e podemos nos expressar exatamente como cremos e somos.

Parecia um sonho novo, que eu jamais havia imaginado. E foi se tornando realidade. Na primeira reunião em que nos encontramos com todos os artistas e com os organizadores do Festival eu mal podia acreditar nas palavras que ouvia da boca de pessoas não crentes e que estavam nos “lendo” há algum tempo. Eu pensava: -”É, parece que estamos conseguindo testemunhar Jesus!”. Em outros encontros ouvi coisas que achava estar tão longe de acontecer, como a influência da Igreja evangélica começando a forçar uma mudança na dramaturgia da televisão brasileira! Eu já me sentia satisfeita e transbordante, só de ouvir de pessoas tão importantes falando sobre o nosso testemunho e um possível futuro de transformação.

Os dias passaram rapidamente e os preparativos para o Festival se intensificaram. Ensaios, divulgação, mobilização. Para surpresa da própria Globo, nenhum patrocinador comprou as cotas de investimento e participação no evento. Eles tiveram que arcar com todo os custos e estão apostando na audiência do dia 18 para provar às grandes marcas do Brasil que vale à pena investir neste mercado que só cresce. Mas, a maior resistência, e que me entristeceu tanto, veio de dentro da própria Igreja. Será que só eu e alguns poucos estamos percebendo o que acontecendo?

O grande dia do Festival chegou e foi totalmente maravilhoso. Um após o outro, nós, ministros do Senhor, subimos naquele lindo palco e falamos livre e ousadamente de Jesus. Além da estrutura de excelência que nos foi presenteada, com telões de alta qualidade espalhadas pelo aterro do Flamengo, som que alcançaria 250 mil pessoas, e muito respeito e dignidade nos camarins, ainda havia a grande emoção de estarmos sendo gravados para a exibição do dia 18. A sensação era de uma grande estaca que estava sendo firmada no topo desta montanha. E todos nós, adoradores no palco, e os 100 mil que aceitaram o convite para o banquete, fizemos parte de um momento histórico (números oficiais da Polícia Militar e Prefeitura do RJ).

O desafio agora é que a audiência no dia 18/12/11, a partir de 1h da tarde, na telinha da Globo, seja tão grande que incentive seus executivos a continuarem investindo e abrindo as portas para os evangélicos. Eu, sinceramente, espero que não percamos esta grande oportunidade. Falar de Jesus dentro das Igrejas é importante, mas levar Sua mensagem aonde Ele ainda não foi pregado tem me trazido uma alegria que há muito tempo eu não sentia. Confesso que esta conquista tem renovado em mim a própria paixão ministerial. Tenho um forte chamado para ministrar em nações pouco evangelizadas, e nesse novo tempo parece que o Brasil se tornou para mim um novo campo missionário!

Apesar de estar certa de que serei mal compreendida pelos meus póprios irmãos, criticada por entrar em programações mundanas, estou decidida a ir onde o Senhor tem me levado. Vou seguir Seus passos, e olhar com Seus olhos, e tocar com Suas mãos, as pessoas que estão lá fora, perdidas nesse mundão. Enquanto escrevo, de dentro do avião, me recordo dos momentos que vivi há poucas horas gravando no “Caldeirão do Hulck”. Ali estavam jovens completamente distantes da mensagem do evangelho. Quem sabe até mesmo havia ali alguns desviados. E o que dizer dos milhões que assistirão quando for ao ar? Jesus foi se encontrar com eles ali! Foi isso que senti. Uma enorme alegria me fortaleceu e venceu o medo e a hostilidade que sentia no mundo espiritual. Ainda assim, sei que serei mal compreendida por cristãos que não entendem o que fomos fazer naquele lugar.

E você? Quer ver o Brasil transformado? Perceba o que Deus está fazendo agora mesmo, bem diante dos nossos olhos, na telinha! Dia 18/12, a partir das 13h, faça parte desta conquista que não é minha, mas da Igreja do Senhor Jesus no Brasil, e que servirá de testemunho diante de todas as nações.

%d blogueiros gostam disto: