Archive

Archive for março \29\UTC 2012

“Sexta Santa” é opção de culto com roupagem diferente na AD

Abordagem diferente em culto atrai pessoas de outras religiões e denominações diferentes

Coordenador do evento, o jornalista e músico Silas Leocádio

Coordenador do culto, o jornalista e músico Silas Leocádio

Promover toda terceira sexta-feira de cada mês encontro com adolescentes assembleianos e demais denominações e religiões para momentos de descontração, adoração com música de qualidade, dança, bate-papo relacionados a temas atuais e ministrações.

Esse é o objetivo de um novo projeto que acaba de ser idealizado pela Igreja Assembleia de Deus em Montes Claros-MG.

De acordo com um dos coordenadores do projeto, o jornalista e músico Silas Leocádio, o culto é feito com uma dinâmica diferenciada em relação aos outros eventos da igreja, com conteúdo, mas com uma roupagem jovem e moderna.

“Haverá também espaço para apresentações artísticas de novos talentos da música, artes cênicas, danças e outros”, lembra.

O culto começa sempre às 19h30, na Assembleia de Deus, na rua Pr. Raimundo Fernandes 70, no bairro Santa Rita I. Vale lembrar que a entrada é franca. Outras informações pelo telefone (38) 3223-9641.

Adeus, Millôr por Márcio Leite

“Adeus, Millôr” pelo jornalista, publicitário e cartunista montesclarense, Márcio Leite

Gladslayne é contratada pela Patmos Music

Gladslayne, integra casting da Patmos


No último dia 19, em reunião na sede da gravadora, a cantora assinou contrato com a Patmos Music para a distribuição de seus trabalhos. 

A cantora Gladslayne começou a cantar aos cinco anos de idade e tem em sua discografia, três CDs de forte reconhecimento: Nada Temerei (2005), Louvor do Céu (2008) e Crê Somente (2010). Ela está há alguns anos sem uma gravadora e entendeu que era hora de contar com a ajuda de profissionais para dar andamento à sua carreira.

Como foi a visita à gravadora? 
Gladslayne: A visita foi maravilhosa, todos me trataram muito bem e com muito carinho. A Patmos sempre esteve em meu coração e Deus me presenteou com essa benção!

Qual a sua avaliação sobre a importância de uma gravadora para o cantor? 
Gladslayne: Creio que é uma base para o cantor. A gravadora ajuda e muito em várias questões, principalmente na divulgação.
O que você espera desta parceria? 
Gladslayne: Estou muito feliz com esse novo tempo em minha vida e creio que com Jesus no comando, nós vamos longe.

Quer destacar algo neste momento? 
Gladslayne: Sim, antes de assinar o contrato, Deus usou uma irmã que me disse que me via em uma sala assinando uns papeis. Ela nem sabia q eu estava indo ao RJ conhecer a gravadora no outro dia. Deus me disse que Ele é quem estava na frente e que podia ficar tranquila. E assim aconteceu, quando Deus fala Ele cumpre.

“A Gladslayne é a cara da gravadora. Uma voz muito bonita e marcante. Uma serva fiel, séria, comprometida com o Reino e temos muito apresso pela conduta dela em tudo o que faz. Acreditamos que a igreja no Brasil será abençoada com esta nova parceria, comenta o gerente da gravadora Patmos Music, Geziel Damasceno”.

Para conhecer mais do trabalho de Gladslayne, acesse www.gladslayne.com.br

Cinema. Produtor Hollywoodiano vai filmar ‘A Ressurreição’

O produtor de Hollywood, David Wood, quer realizar “A Ressurreição”, um filme contando a história da ressurreição de Cristo e para isso pretende obter financiamento e “apoio espiritual” junto à comunidade cristã.

Produtor de Hollywood vai filmar ‘A Ressurreição’ em projeto conjunto com cristãos

Wood quer aproveitar o sucesso do longa-metragem “A Paixão de Cristo”, de Mel Gibson, e contar as últimas 12 horas históricas da vida de Cristo, fazendo referência à sua ressurreição e aos 40 dias que se seguiram, enfatizando os fatos marcantes da fé cristã.
O produtor falou ao Christian Post que “A Ressurreição” será uma produção única em muitos aspectos, e, diferentemente da produção de Mel Gibson, terá uma mensagem mais positiva.”O verdadeiro poder do cristianismo é o Jesus ressuscitado”, afirmou Wood.
“Mesmo que todos nós saibamos que Cristo morreu na cruz por nossos pecados, o verdadeiro poder vem da ressurreição, e é nele que os cristãos esperam. Essa é uma história sobre amor e esperança”, define.
Wood, que tem uma carreira de 30 anos na indústria cinematográfica, disse que Deus o tem guiado a buscar apoio e fundos entre os crentes antes mesmo que o elenco seja contratado e até a equipe técnica, incluindo roteiristas.“Deus tem nos mostrado a andar na contra-mão do que é feito em Hollywood.
Normalmente, o primeiro passo é levantar o dinheiro e investidores. Você tem um script. Você contrata todo mundo para entrar em produção. Depois vem o som e edição e depois disso há a comercialização, lançamento nos cinemas e DVDs e assim por diante” , explica o experiente produtor.
Com este intuito, o produtor acabou de participar da K.E.Y.S. (Kingdom Economic Yearly Summit), uma conferência que contou com a participação de líderes cristãos e profissionais de maketing.
De acordo com o site do projeto, os cristãos que quiserem participar devem se tornar “produtores espirituais”. Este é descrito com uma pessoa que daria sua contribuição de no mínimo US$ 25, com o compromisso de orar pelo projeto, espalhar as idéias sobre o filme via redes sociais e fazer grandes investimentos no projeto para obter retorno financeiro.
Eles também poderão participar da fase de elaboração do roteiro, e escolha do elenco.Wood explicou que está tentando realmente fazer cada etapa do filme com a direção de Deus, o que acredita ser a maneira certa de fazê-lo. Ele pretende realizar o marketing e a comercialização da produção por cerca de dois anos e depois produzi-lo e lançá-lo. “É uma nova maneira de fazer cinema”, ressaltou o produtor.
De acordo com o produtor, o lançamento será simultâneo em todo o mundo, mas ainda não tem data marcada para acontecer.

Popstora, Baby do Brasil grava CD gospel

Baby do Brasil anunciou esta semana o lançamento de seu CD gospel, em entrevista ao portal de notícias R7, apesar de ainda não ter data definida.

Segundo a cantora, o álbum terá músicas de diversos ritmos e versões de grandes sucessos de músicas evangélicas internacionais.“Tem bossa nova, jazz e muito rock”, contou Baby à publicação.O álbum terá a participação especial de uma de suas filhas, Nana Shara, que também se tornou evangélica, em uma faixa em inglês.
A cantora contou que não teve todas as filhas participando no álbum por falta de tempo e que tem vontade de produzir Sarah Sheeva.A produção do CD será feita no exterior, mas traz a maior parte das faixas cantadas em português.Nas músicas, Baby aborda temas relacionados a problemas sociais, como em “Eles Precisam Saber a Verdade”, em que fala sobre os problemas das drogas.
A artista revelou que a canção foi inspirada ao ver o sofrimento de muitos amigos.Além do CD gospel, Baby do Brasil anunciou outros projetos para o futuro. A cantora, que começou sua vida artística no grupo Novos Baianos, quer escrever uma autobiografia e um documentário sobre a passagem pela banda. Também está nos planos da cantora a gravação de um DVD.
Carreira Baby do Brasil começou a cantar e tocar violão ainda na infância. Aos 14 anos,venceu um festival de música em Niterói.Em 1969, com 17 anos, fugiu de casa para Salvador, onde conheceu os músicos Moraes Moreira, Galvão e Paulinho Boca de Cantor, assim como o guitarrista e futuro marido Pepeu Gomes. Estava formado o grupo Os Novos Baianos.
O primeiro álbum solo de Baby, “O Que Vier Eu Traço”, atingiu grande sucesso de mídia e de vendagem.No fim da década de 1990, Baby se tornou evangélica e passou a atuar como pastora, mas manteve sua carreira de cantora.Durante a entrevista, Baby também comentou que muitas pessoas estranham sua conversão, não só seus antigos fãs, mas também os evangélicos mais conservadores. “No meio evangélico existe um lado caretézimo e um lado supermatrix.
O lado supermatrix sacou na hora: o Espírito Santo pegou essa menina e ela vai ter a revelação que ela quer”, disse.

Extra, extra! Venderam o seu “Like” no Facebook

Aplicativos como Veja quem te visitou” ou “Mude a cor do seu perfil”não são apenas brincadeiras desagradáveis de algum hacker que quer se divertir. Eles servem também para um esquema fraudulento de venda de “curtidas” (ou “likes”) a empresas ansiosas por audiência no Facebook.

Uma investigação feita por Fábio Assolini, analista da Kaspersky Lab e integrante do Grupo de Análise e Resposta a Incidentes de Segurança (Aris), revela que cibercriminosos brasileiros vendem pacotes de “curtidas” que variam de R$ 50, para mil “likes”, a R$ 3.990, para 100 mil “likes”.

“Uma maneira rápida e fácil, adquira cem mil curtidas em sua fan page no Facebook. Compre este plano, escolha a melhor forma de pagamento que desejar”, diz o site que comanda o negócio – encontrado sob os domínios hxxp://publicidadesonline.com e hxxp://publicidadesonline.net. Eles foram retirados do ar após Assolini comentar o comércio de “likes” em um blog.

De fato, a companhia que compra o serviço consegue movimentar o seu perfil na rede social. Mas o que ela pode não saber é que isso é feito às custas de usuários infectados por aplicativos do tipo “Mude a cor do seu perfil” — gente que não necessariamente admira a marca “curtida” ou que até acaba ficando com raiva da empresa por ver seu rosto exposto onde ela nunca pensou em estar.

O esquema, que promete também milhares de seguidores no Twitter, é totalmente brasileiro, segundo o analista da Kaspersky. Um dos sites estava registrado em nome de um usuário localizado em Goiânia.

Involuntariamente. Para tomar conta de um perfil no Facebook, os cibercriminosos geralmente criam aplicativos falsos com motes apelativos para atrair usuários e convencê-los a baixar o que, na verdade, é uma porta para um malware (software usado para fins criminosos).

A pessoa, sem saber, está instalando um plug-in no navegador (Firefox ou Chrome) que roubará o seu nome de usuário e senha, não importa quantas vezes eles forem trocados.

A menos que o plug-in seja excluído, ele continuará lá como um espião — e com o poder de usar o seu perfil como bem entender. Caso o usuário suspeite ter instalado aplicativos maliciosos ou plug-ins estranhos, é aconselhável verificar as extensões no navegador, segundo Fábio Assolini.

O analista alerta que é provável que o plug-in esteja disfarçado de Adobe Flash Player, por exemplo, um dos mais populares na web e usado como isca em outros ataques virtuais. Essa extensão força o usuário acessar o Facebook por um domínio não-seguro que começa com http:// em vez de https://, que representa o site seguro.

Quando isso ocorrer, é preciso excluir o plug-in malicioso do navegadorVeja como:

No Mozilla Firefox, vá em Ferramentas > Complementos > Extensões. No Chrome, vá em Ferramentas > Extensões. Procure pelos últimos plug-ins instalados.

Popular. Especialistas dizem que o Facebook, hoje com mais de 36,1 milhões de brasileiros, costuma ser eficiente na exclusão de aplicativos cuja intenção é espalhar vírus pela rede. Mas, apesar dos esforços, a empresa diz ser necessária a colaboração do usuário. “Em caso de dúvida, confirme antes com seu amigo se aquela mensagem ou post é segura”, disse a empresa em uma de suas campanhas.

Fonte: Murilo Roncolato e Nayara Fraga, no Estadão, via Pavablog

Quando a tribuna da Câmara vira palco para show evangélico

Lauriete: tribuna da Câmara virou palco de cantora gospel (Foto: Agência Câmara)

Lauriete: tribuna da Câmara virou palco de cantora gospel (Foto: Agência Câmara)

 

Ricardo Setti, na Veja on-line

Não bastavam as ridículas intervenções do senador Eduardo Suplicy (PT-SP), no Senado, cantando, desafinadíssimo, como volta e meia faz, desde que certa vez resolveu homenagear à sua maneira Bob Dylan tentando entoar “Blowing in the Wind” da tribuna.

A deputada Lauriete (PSC-ES), que é evangélica e cantora gospel, e graças a isso se elegeu, transformou recentemente a tribuna da Câmara dos Deputados em palco em homenagem aos 100 anos da Assembléia de Deus no Brasil e cantou, acompanhada de um coro de parlamentares da mesma orientação religiosa.

Experiente, ela providenciou playback para a música.

Respeito todas as religiões, mas a mim isso ocorrer no plenário da Câmara me parece o fim da picada.

E vocês, o que acham? Confiram o vídeo abaixo e, se quiserem, comentem:

Fonte: Ricardo Setti, na Veja on-line

Comentário
Tempos atrás a Superinteressante descobriu uma estratégia p/ ampliar as vendas que parecia infalível. Bastava a matéria de capa estar relacionada à Bíblia ou a Jesus p/ a edição fazer sucesso. 

Com uma recorrente versão gospel do complexo de vira-latas tão bem delineado pelo Nelson Rodrigues, o rebanho reage animalmente a qualquer tipo de provocação e sai latindo e balindo por aê.

Com um festival de bizarrices sem precedentes na história, o zoo gospel hoje transformou-se num dos pratos principais servidos pela mídia. Duas colheres de Macedo, uma medida de Malafaia e uma pitada de Feliciano são suficientes para fazer crescer a massa da audiência e, em especial, a área de comentários.

Como “lhe dar” quando um cara do naipe do Ricardo Setti lasca em sua coluna um textinho preguiçoso e um vídeo manjadíssimo que já rodou por todos os sites e blogs? Pra começo de conversa, o tal “recentemente” refere-se a junho do ano passado. =/

Claaaro que o expediente deu certo e o pau tá comendo solto na área de comentários. Discussões improfícuas e rasteiras como as que acontecem aos borbotões na internet. Com a afasia (e a dislexia) da chamada “mídia gospel”, parece que estamos condenados a ser eternamente nivelados por baixo, como se o porão (e os roedores variados que nele habitam) fosse a parte + importante da casa cristã.

Para os adeptos da desculpa-clichê que “a Palavra nunca volta vazia”, resta uma ligeira adaptação do brado da funkeira (e evangélica) Tati Quebra-Barraco: “somos feios, mas estamos na moda”.

Comentário (muito bem colocado) por Sérgio Paravini, o inusitado Pavablog

%d blogueiros gostam disto: