Arquivo

Archive for março \14\UTC 2013

“Jesus” é condenado por desvio de merenda escolar

Saulo Gonçalves: ‘Assim como Cristo, que foi condenado, morto e ressuscitou, acredito que tudo vai passar’ (Janine Moraes/CB/D.A. Press)

Sentenciado por desvio de merenda escolar, o ator que interpreta o papel principal da Paixão de Cristo está mantido no espetáculo do dia 29, mas pode ser afastado no próximo ano. Saulo acredita que seu sofrimento o aproxima do que passou o filho de Deus

Estrela de um espetáculo cristão acompanhado por cerca de 200 mil pessoas, Saulo Humberto Soares Gonçalves, 40 anos, foi condenado a 2 anos e 4 meses por peculato, no começo deste ano.

Intérprete de Jesus na Via Sacra de Planaltina, ele foi acusado, em 2011, de desviar merenda escolar para doações ilegais. Afastado do cargo de diretor do Centro de Ensino Fundamental 4, continua interpretando a figura central na encenação da maior via-crúcis do Distrito Federal, no Morro da Capelinha. A história de fé, poder e corrupção é discutida nos bancos de praças de toda a cidade e divide a opinião dos moradores.

Com medo de que a festa, que este ano completa 40 anos de tradição, tenha a reputação abalada pelo escândalo, o padre responsável pela Via Sacra, Paulo Renato, não exclui a possibilidade de Saulo ser afastado do papel nos próximos espetáculos. “Este ano, é impossível. A preparação e a escolha de atores acontecem quase um ano antes e agora está muito perto para uma alteração tão grande. Mas vou me reunir com a direção do evento para debater e decidir o futuro dele na Via Sacra”, explica o clérigo.

Fonte: Correio Brazilienze

 

Anúncios

Rapper critica o “BBB” em show no próprio programa

MC Marechal (esq.) fez participação especial no show de Marquinho, OSócio no "BBB13"

Texto: Mauricio Stycer
Crítico do UOL

Deu-se no sábado (9), no final do programa. Pedro Bial anunciou um show de Marquinho,OSócio, músico que ganhou projeção ao disputar o reality “The Voice Brasil“. Ele abriu sua participação cantando “Sossego”, sucesso de Tim Maia.

Marquinho estava no palco havia menos de dois minutos quando chamou o rapper MC Marechal, que começou a cantar, sob a base de “Sossego”, uma música de sua autoria, chamada “Vamos Voltar à Realidade”. A letra do rap critica a programação da televisão e cita, entre outros, o próprio “BBB”.

“TV testa fidelidade, investe em falsa liberdade, te congela e fecha a imagem / Traz mensagem distorcida das festas e futilidade / Mas jamais vão expor quem chora, atrás dos restos de maquiagem, neguinho / Despertador, Big-Brother, 9,8,4!”

A participação durou pouco mais de um minuto. Marquinho voltou, então, a cantar “Sossego” e o programa terminou. Marechal vestia uma camiseta branca estampada com as letras “#VVAR” – alusão ao título da música que cantou.

No programa de domingo (10), foi exibido um resumo do show de Marquinho, sem menção à participação de MC Marechal, o que deu margem à interpretação, por fãs do rapper, de que ele foi censurado.

Em sua página no Facebook, Marechal escreveu: “A Globo realmente não tinha noção do que eu ia cantar… tanto que cortaram da reprise”. O músico escreveu, ainda, que não ganhou nada para participar do show. “Fui a convite do meu irmão Marquinho Sócio”.

Não acredito que tenha ocorrido censura. Imagino que a edição tenha preferido exibir no domingo trechos não mostrados no sábado. Mas no site oficial do programa não há uma linha sobre a participação especial de MC Marechal na festa.

Fonte: UOl

Escolha do novo papa depende da interpretação da renúncia papal

Modernidade é um pesado desafio para os cardeais (foto: Getty Images)

Cardeais brasileiros reconhecem sentido de urgência no futuro da Igreja.
Modernidade é um pesado desafio para os cardeais

Texto William Waack

Tirar o quadro da parede é mesmo o fim de uma era? Interpretar a renúncia de Bento XVI definirá a escolha do sucessor, diz o jornalista espanhol Juan Arias, veterano vaticanista.

“Conhecendo este papa, que eu conheci já quando ele tinha 35 anos, um grande intelectual, ele já tinha antes teorizado que um papa nunca deve renunciar. Se ele fez esse gesto é porque algo muito grave está acontecendo na Igreja e, concretamente, no Vaticano”, diz Arias, do El Pais.

De fato, ao falar da própria renúncia, Bento XVI usou uma imagem forte da Bíblia: a do barco com os apóstolos, surpreendido por mau tempo no mar da Galileia. Brilhante intelectual, o papa emérito é um devoto de Santo Agostinho, e da ideia de que, na cidade dos homens, não há salvação. Só existe na cidade de Deus, só na Igreja.

Para Bento XVI, é a Igreja que protege a pureza da fé, igual a uma noz, o fruto da nogueira que ele mandou plantar no jardim de sua casa na Alemanha, especificamente na Baviera, no meio do país central da Europa, que é, por sua vez, o centro da Igreja.

A Baviera do papa emérito é o lugar de católicos perfeitos. Não são bilhões, mas, para ele, qualidade é melhor do que número. Vêm de lá também seus críticos mais ácidos, como o teólogo Hans Küng, que não se cansou de repetir que Bento XVI não conduziria a Igreja ao futuro, ou o teólogo brasileiro Leonardo Boff, que teve com o então cardeal Joseph Ratzinger, no Vaticano, um épico confronto.

“A renúncia foi uma lição, uma bomba que ele lançou em cima da Cúria Romana, que praticamente se rebelou. Ele se deu conta do colapso do conceito de Igreja que sempre sustentou desde jovem professor e que, como teólogo, levou para dentro da Igreja”, afirma Boff.

Atribui-se ao papa que renunciou há uns 600 anos, São Celestino, outro favorito de Bento XVI, a incapacidade de lidar com a burocracia do Vaticano. Pelo jeito, pouco mudou: Bento XVI é criticado por não ter controlado a burocracia que levou ao escândalo do Banco do Vaticano, acusado de lavagem de dinheiro da máfia italiana, ou de controlar a reaçãoda burocracia, que foi  a de abafar os escândalos sexuais envolvendo a Igreja em vários países.

Herança de um antecessor messiânico, popular, carismático, mas desinteressado das lides internas da Cúria? Diante do peso do gesto da renúncia, cardeais brasileiros reconhecem um sentido de urgência no que a Igreja tem pela frente.

“A Igreja sempre deve se renovar, porque a história prossegue. A urgência vem pela natureza das coisas, das interrogações que são feitas à Igreja. Aconteceu agora, mas não vai atropelar e querer que se faça de qualquer jeito, não. A Igreja é chamada a fazer as coisas também com bastante oração e com bastante estudo”, afirma Dom Geraldo Majella, Bispo Emérito da Diocese de Salvador/BA.

O horizonte de tempo da Igreja é outro: para os cardeais, terminou há poucas horas o Concílio Vaticano II, que, na verdade, aconteceu meio século atrás. O concílio, para uma corrente da Igreja, reformou muito pouco a instituição. Para outra corrente, reformou demais.

“Eu creio que a Igreja ainda não explorou toda a riqueza dos documentos do Concílio Vaticano II. Acho que ainda há muito para fazer, fazer para a Igreja, e eu acho que o papa está dizendo para todos nós. Não se trata de reformas, digamos, acidentais, secundárias. Acho que são reformas muito mais profundas, o que está se exigindo da Igreja hoje em dia”, diz Dom Raymundo Damasceno, Arcebispo de Aparecida/SP.

O que fazer é, no fundo, o debate dos cardeais reunidos para escolher o novo papa. Os desafios da Igreja foram exaustivamente examinados por Bento XVI: secularização das sociedades modernas; fuga da Igreja, não só nos países europeus; relativismo cultural, quer dizer, ausência de princípios e de valores.

É um pesado desafio para os cardeais, o desafio da modernidade. Não vai desaparecer tirando o retrato da parede.

Fonte: Jornal da Globo

 

Thalles grava participação no programa ‘Esquenta’, da TV Globo

Durante participação no programa “Esquenta!”, Thalles professa a fé cristã e leva a Palavra de Deus em rede nacional

Durante participação no programa “Esquenta!”, Thalles professa a fé cristã e leva a Palavra de Deus em rede nacional

Nesta terça-feira, dia 5/3, Thalles gravou participação no programa “Esquenta!”, apresentado por Regina Casé, na Rede Globo. O cantor representou a música gospel e teve a oportunidade de cumprir, mais uma vez, o “Ide” do Senhor Jesus, professando a fé cristã e levando a Palavra de Deus em rede nacional. O programa, que vai ao ar no próximo dia 17, também contou com a participação de representantes de outras religiões, que mostraram como utilizam a música para se comunicar com o que consideram “divino”.

“Essa apresentação foi, sem dúvida, a que mais colocou em evidência minha responsabilidade espiritual. Eu poderia ter recusado o convite, como muitos queriam que eu fizesse, mas preferi ouvir a voz do Espírito Santo, que me deu uma palavra: Isaías 49. Eu disse ‘sim’ e aceitei o desafio de ser, verdadeiramente, sal fora do saleiro. Aproveitei o tempo que me deram para falar sobre Aquele que transformou a minha vida e reescreveu a minha história”, disse Thalles.

A pedido da apresentadora, no começo do programa, Thalles louvou a Deus com a música “Segura na mão de Deus”, em ritmo de samba. Em seguida, Leo Moura, que é amigo e fã de Thalles, foi chamado ao palco e explicou como a música interferiu em seu retorno para a casa do Pai. “Eu estava em uma concentração, quando ouvi a música e o testemunho do Thalles. Chorei bastante e recebi a confirmação do chamado de Deus”, lembrou o jogador.

Thalles também adorou a Deus com os louvores “Deus da minha vida” e “Ele é contigo”. Entre outros assuntos relacionados à fé cristã, o cantor falou sobre seu chamado e relembrou a história de Davi. “Eu sou um levita e tenho a missão de levar a Palavra de Deus através da música. No passado, Davi era chamado para tocar a harpa e acalmar o Rei Saul”, explicou Thalles.

O programa vai ao ar no próximo dia 17 (domingo), a partir das 13h, na Rede Globo.

Fonte: Graça Music

“João usava umas roupas ao estilo Sex Pistols”. Pastor faz releitura da Bíblia e mira público jovem

Pastor Ariovaldo Júnior. “Intenção é falar com a geração Y”

Dica do Christiano Jilvan e do Luiz C. Silva

“O diabo levou Jesus pra frente da TV e mostrou tudo o que tem de bom nesse mundo (incluindo bacon, a Megan Fox e cerveja).” Foi assim que, segundo a Bíblia Freestyle, o “capiroto” tentou Jesus Cristo nos 40 dias e 40 noites em que o filho de Deus passou no deserto.

No projeto online do pastor evangélico Ariovaldo Carlos Júnior, textos do Novo Testamento são parafraseados com a linguagem que ele atribui à geração y, composta pelos jovens na faixa dos 20 anos.

“Temos as referências das séries de televisão, dos filmes, das músicas e conversamos dessa forma com nossos amigos. Mas, quando é para falar das coisas de Deus, a gente deixa esse papo pra lá”, afirmou o pastor, que disse ter escolhido essa abordagem para gerar curiosidade. “A intenção é essa mesmo, que a pessoa se interesse pela história e vá atrás dos originais. O evangelho não é desse mundo, então, para ser compreendido, ele tem que ser levado à luz da cultura da pessoa.”

A Bíblia Freestyle começou como um projeto pessoal e está na internet desde o dia 29 de janeiro, de lá pra cá, teve mais de 80 mil acessos. A cada dia, Ariovaldo Júnior publica um capítulo dos livros de Mateus, Marcos, Lucas e João. “Como o projeto encorpou, encontrei outro pastor disposto a me ajudar, pelo menos nos quatro primeiros livros, que contam a mesma história. A previsão é terminar o Novo Testamento até o meio do ano. Depois, partiremos para o Velho Testamento”, disse o pastor, que também é analista de sistemas.

A intenção é que, se o ritmo de postagens for mantido, até abril de 2014 a bíblia inteira esteja em versão Freestyle.

Polêmica

A versão bem-humorada da Bíblia contada pelo pastor Ariovaldo Carlos Júnior atraiu admiradores e críticos.

“Fiquei surpreso com a repercussão. Tem alguns xingando a minha mãe, mas tem muita gente pedindo para eu não parar”, disse.

Pastor da Igreja Manifesto Missões Urbanas de Uberlândia (Ministério Sal da Terra) há quase 10 anos, Ariovaldo Júnior afirma que não considera a Bíblia Freestyle uma blasfêmia. “Blasfêmia seria deturpar o conteúdo da mensagem. O importante é manter o princípio, não a forma. Eu espero que as pessoas tenham humor suficiente para entender que o que faço é uma paráfrase, não é completamente fiel aos originais. Quem quiser uma tradução não deve procurar aí”, disse.

Citações

“João usava umas roupas ao estilo Sex Pistols. Peles de camelo e cinto de couro (provavelmente com spikes). E foi o pioneiro nesse papo de vegetarianismo, pois só comia mel e gafanhoto.”

“Aí o Espírito Santo levou Jesus pra um rolê no deserto (…) Jesus acabou 40 dias e noites sem comer nada, mesmo havendo muitos Habib´s por perto.”

“No final, todo mundo comeu até virar os zóio e ainda sobrou um montão. Mais de cinco mil pessoas comeram o Mc Lanche Feliz que Jesus providenciou.”

“Aí vem neguinho posando de malandro e me pedindo sinal pra eu mostrar do que sou capaz? Aham, Claudia… senta lá, vai! Vão esperar sentados.”

“Jesus perguntou pros seus seguidores sobre o que a galera pensava a seu respeito (…) Tinha gente dizendo que ele era a versão ‘The Walking Dead’ do seu primo João Batista.”

Fonte: Correio de Uberlândia

Cantores e pastores lamentam morte precoce de Chorão do Charlie Brown Jr

Chorão e Rodolfo Abrantes conversam durante evento da igreja Bola de Neve (foto: divulgação)

Por Tiago Chagas

O vocalista da banda Charlie Brown Jr., Chorão, faleceu na madrugada de ontem, 06/03, e as causas da morte ainda não foram definidas pelos médicos legistas.

O cantor foi encontrado desacordado por seu motorista, que acionou o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU), que registrou o óbito.

Chorão era dos artistas nacionais mais versáteis naquilo que se propunha a fazer, e colecionava amigos no meio musical secular e fora dele. Compositor, roteirista, skatista e fã de futebol, sua morte foi lamentada por inúmeros admiradores nas redes sociais, e também por personalidades do meio gospel, com quem mantinha amizades.

O cantor Rodolfo Abrantes, ex-vocalista das bandas Raimundos e Rodox, lamentou a morte do amigo e desejou que haja consolo para a família e admiradores: “A todos os fãs, amigos e familiares do Chorão, meus sentimentos. Orando pra que Deus conforte seus corações. Que a palavra lançada por tantos amigos tenha encontrado lugar”, escreveu, lembrando que por diversas vezes, Chorão foi evangelizado por conhecidos.

Queria tê-lo ajudado, Alexandre. Muito triste!”, disse o apóstolo Rina, da Bola de Neve

“Queria tê-lo ajudado, Alexandre. Muito triste!”, escreveu o apóstolo Rina, líder da igreja Bola de Neve, onde Renato Pelado, ex-baterista do Charlie Brown Jr. se converteu e congrega atualmente. Pelado afirmou ao G1 que ainda não assimilou a morte do amigo: “Eu estava na oração da igreja e quando fiquei sabendo achei que era brincadeira, que era um boato. Está tudo muito confuso, parece que a ficha não caiu ainda. É um sentimento muito triste, um sentimento de não poder fazer nada. Foi uma grande perda, de um grande artista e poeta. Pêsames para a família, que Deus os abençoe. Agora é só ouvir as músicas que a gente lembra dele. Chorão é eterno, vai ficar para sempre no coração”, lamentou.

A integrante do Diante do Trono, Ana Paula Nóbrega comentou o sofrimento expressado através das redes sociais: “Moçada de luto… Morte do Chorão! Só tendo a paz de Deus pra suportarmos as pressões desta vida! Não dá para viver sem Jesus!”, disse. Seu discurso foi acompanhado pelo pastor Felipe Valadão: “Lamento muito a morte dele sempre fui um admirador da criatividade e talento do cara”, escreveu.

O polêmico pastor Lucinho Barreto também comentou a morte do músico: “Ontem morreu Hugo Chávez aos 58 e hoje morre Chorão aos 42. Um viveu pra política e outro pra música. Para quê você tem vivido seus dias?”, questionou.

"É triste ver a morte levar gente de tanto talento e potencial", lamentou a cantora Nívea Soares (foto: Quartel Design

“É triste ver a morte levar gente de tanto talento e potencial”, lamentou a cantora Nívea Soares (foto: Quartel Design

A cantora Nívea Soares e seu marido, Gustavo Soares, comentaram o ocorrido e lamentaram a perda: “É triste ver a morte levar gente de tanto talento e potencial. Que a presença e o consolo do Espírito Santo sejam sobre a família do Chorão”, escreveu Nívea Soares. “Mais um cantor que se vai… Tinha tudo no mundo menos a presença do ser mais importante do universo …”, lamentou Gustavo Soares, que completou: “Uma grande perda pra nação brasileira , me lembro que o chorão chegou a ir em uma igreja durante um tempo. Triste”.

O vocalista da banda Filhos do Homem, Cris Batiston se despediu do vocalista do Charlie Brown Jr. com bastante pesar: “Tchau Chorão! Vou sentir falta do homem que você nasceu para ser. Das poesias que você iria escrever, dos sonhos que você iria realizar, das multidões de jovens que você iria influenciar com Deus. Agora estou parando de orar por você. Não adianta mais. Mas com sua história sempre vou lembrar de orar e orar e orar, e falar até que outros que estão neste caminho escutem”, escreveu em sua página no Facebook.

Fonte: Gospel+

Só os loucos sabem…

chorão

Andrey Librelon

É o que dá ficar sem internet à noite e sem TV em casa. Fui surpreendido com a notícia das mortes do Chorão, vocalista do Charlie Brown Jr., e do presidente da Venezuela, Hugo Chavez, só hoje pela manhã. Mas a pergunta que fiz pra mim mesmo foi o que os dois têm em comum ou o que podemos aprender com ambos?

Penso que nada, mas por algum instante creio que muito se pode extrair da vida desses ‘camaradas’. Não sou Deus para fazer pré-julgamentos, mas Chorão foi um veemente apologista de drogas ilícitas. Isso ele deixou claro. A letra de suas músicas refletia isso, sua vida espelhava isso para os seus fãs.

Nem por isso elas (as letras) deixaram de provocar, mexer com muitos, colocar o dedo na ferida da sociedade brasileira. Enfim, ele foi um inquieto. Um artista inquietante que foi incompreendido por ele mesmo.

Na verdade, o triste na história do cantor, como de tantos outros como Cazuza, Renato Russo, Amy Winehouse e Kurt Cobain, o músico da baixada santista pode ter cantado e buscado o que não conseguiu viver intensamente: a paz interior. Acabou vivendo toda a sua vida, conturbada, em guerra. “Um homem quando está em paz não quer guerra com ninguém”, dizia uma de suas letras.

Acompanhei o Charlie Brown Jr. desde a minha adolescência. Curti muito o som dos caras. Foi ouvindo Zóio de Lula que aprendi meus primeiros acordes na guitarra. Som rebelde, palhetadas vibrantes e valorização bacana do contra-baixo, além, claro, de uma batera agressiva. Pra mim, “Transpiração Contínua Prolongada”, de 1997, e “Preço Curto… Prazo Longo, de 1999, foram os melhores álbuns do CBJr.

A morte, de quem quer seja, famoso ou não, serve sempre para reflexão de quem ainda vive e tem a oportunidade de viver diferente, melhor, ser exemplo para os outros. Estou falando de deixar legado. Qual o legado você quer deixar para os seus filhos, por exemplo?
As fotos de sua morte, divulgadas no final da tarde por UOL e R7, bastante macabras, revelaram a intimidade, as vísceras do dia-a-dia, uma vida de quem vive num mundo em guerra, em total desordem.

A inquietação de Chorão, emplacada em letras tão inspiradas, infelizmente, não passaram disso.

Ah, quanto ao Chavez, pesquise no Google sobre ditatura.

R.I.P Chorão

%d blogueiros gostam disto: