Arquivo

Posts Tagged ‘Deus’

“Chamei por Deus”. Nigeriano sobrevive dois dias em bolha de ar dentro de navio naufragado

Cozinheiro de 29 anos foi único sobrevivente de acidente com rebocador no fim de maio. Na escuridão total, ele diz que escutou os corpos dos colegas mortos sendo comidos por peixes

Harrison Okene, 29, é visto do lado de fora de um hotel em Warri, cidade petrolífera da Nigéria (12/06)

 

 

Cozinheiro do navio, Okene, 29, estava a bordo do rebocador Jascon-4 quando ele naufragou em 26 de maio por causa de uma forte tempestade no Oceano Atlântico a cerca de 30 km da costa da Nigéria, quando estabilizava um cargueiro de petróleo em uma plataforma da Chevron. Dos 12 a bordo, mergulhadores recuperaram dez corpos, enquanto outra pessoa continua desaparecida.

De alguma forma Okene sobreviveu, respirando dentro de uma bolha de ar de quase 1,3 metro de altura enquanto ela encolhia nas águas que lentamente subiam do chão de um banheiro minúsculo e quarto adjacente onde ele buscou refúgio, até que dois mergulhadores sul-africanos eventualmente o resgataram.

“Estava lá na água em total escuridão apenas pensando que era o fim. Pensava que a água ia encher o cômodo, mas não o fez”, disse Okene. “Tinha fome, mas sentia mais sede. A água salgada tirou a pele da minha língua”, contou. A água do mar entrou em sua boca, mas ele não tinha nada para beber ou comer durante seu calvário.

Às 4h50 (horário local) de 26 de maio, Okene disse que estava no banheiro quando percebeu que o rebocador começou a tombar. Enquanto a água entrava e o Jascon-4 virava de cabeça para baixo, ele abriu à força a porta de metal.

“Enquanto saía do banheiro estava um breu, então tentávamos sair pela escotilha de saída”, Okene disse à Reuters em sua casa em Warri, uma cidade na área produtora de petróleo do Delta do Níger, Nigéria.

“Três caras estavam na minha frente, e de repente a água entrou com toda força. Vi os três serem levados um depois do outro. Sabia que eles tinham morrido.”

O que ele não sabia é que passaria os próximos dois dias e meio preso sob a água, rezando para que fosse encontrado.

Virando-se para a única saída que tinha, Okene foi empurrado por uma estreita passagem pela água que subia para um outro banheiro, dessa vez adjacente à cabine de um oficial do navio, enquanto a embarcação naufragada atolava no chão oceânico. Para sua surpresa, ele ainda respirava.

Corpos viram alimento dos peixes

Vestido apenas com sua roupa de baixo, Okene sobreviveu por um dia no banheiro exíguo, segurando-se no lavatório inclinado para manter sua cabeça fora da água. Ele criou a coragem para abrir a porta e nadar para dentro do quarto do oficial e começou a arrancar os painéis da parede para usar como uma pequena balsa para ficar fora da água gelada. Ele percebeu que estava sozinho na escuridão.

“Mas podia perceber que os corpos dos meus colegas tripulantes estavam perto. Podia sentir seu cheiro. Os peixes entraram e começaram a comê-los. Pude ouvir o som. Foi horrível.”

O que Okene não sabia era que uma equipe de mergulhadores enviados pela Chevron e pela proprietária do rebocador, a West African Ventures, procurava os tripulantes, com a ideia de que já estavam mortos. Então, na tarde de 28 de maio, Okene os ouviu.

“Ouvi um som de um martelo batendo no barco. Mergulhei e achei um distribuidor de água. Puxei o filtro de água e bati no lado da embarcação esperando que alguém me ouvisse. Então o mergulhador deve ter ouvido um som.”

Os mergulhadores entraram no navio e Okene viu a luz de uma lamparina no capacete de alguém. “Eu nadei e toquei nele. Acenei com minhas mãos e ele ficou chocado”, disse Okene com seu alívio ainda visível.

A equipe de mergulhadores colocou uma máscara de oxigênio em Okene, bem como um roupa e um capacete de mergulho, e ele chegou à superfície às 19h32, mais de 60 horas depois de o barco ter afundado.

Okene disse que passou mais de 60 horas em uma câmara de descompressão em que a pressão de seu corpo voltou ao normal. Se tivesse sido exposto imediatamente ao ar de fora, teria morrido.

O cozinheiro descreve sua história de sobrevivência como um “milagre”, mas as memórias de seu período na escuridão das águas ainda o perseguem e ele não tem certeza se algum dia voltará ao mar.

“Às vezes quando estou dormindo em casa parece que minha cama está afundando. Penso que ainda estou no mar. Eu levanto num pulo e grito”, Okene contou. “Não sei o que impediu a água de encher o cômodo. Chamei por Deus. Ele fez isso. Foi um milagre.”

Fonte: Portal IG

“Encontrei com Deus no hospital”, diz Alexandre Frota em livro

Biografia Identidade Frota: A Estrela e a Escuridão, 5,0 será lançada em outubro

O ator, Alexandre Frota (foto: Ibahia.com)

Dono de uma carreira bastante polêmica, o apresentador Alexandre Frota resolveu contar as suas melhores histórias em uma biografia. O livro sobre a sua vida, Identidade Frota: A Estrela e a Escuridão, 5,0, está quase pronto e será lançado em outubro.
Na publicação, Frota promete revelar, entre outras coisas, o que teria sido o “seu encontro com Deus”.

– Encontrei com Ele em 2006, quando fiquei internado no hospital Albert Einstein. E em 2007, quando uma mulher me parou na frente da Record e falou sobre a minha vida.

O apresentador também afirma que tem frequentando a Igreja de Nossa Senhora de Fátima, em São Paulo, todos os domingos. Identidade Frota: A Estrela e a Escuridão, 50 também deve virar um documentário.

Fonte: R7.com

Resposta a um estimado leitor, extensiva a outros (des)crentes

 

 

Vou começar do fim. Só para você saber quem está digitando. As respostas foram feitas a quatro mãos, por mim e minha esposa. Eu sou Andrey Librelon, jornalista, também formado, pós-graduado e estudo Direito, além de editor do blog e da edição impressa da Conteúdo Cristão, e minha esposa, Andréia Thaís Figueiredo Costa Librelon, formada em direito, em uma universidade Estadual pública (e não entrou nas vagas de cotas, não). É pós-graduada em Direito Público e é oficial de registro, concursada.

Estes esclarecimentos iniciais não são para que nos gabemos deles, não, mesmo porque não ocupamos nenhum alto posto de inteligência com nossas “míseras” profissões, não ganhamos nenhum Nobel de inteligência, não. Mas eles (os esclarecimentos) são estritamente necessários só para que você compreenda que, também, não somos idiotas. Não acreditamos que a fé é irracional, não. Cremos que ela é SUPRARACIONAL. Está acima de nossa pequena razão. Crer é inexplicável e, por isso, às vezes, parece idiota mesmo. Vejo que assim você pensa de nós, como nós também pensamos de todas as outras religiões, vez que a nossa é excludente de muitas delas. Ou seja, quando cremos que há um só Deus (este no qual nós cremos, o Deus trino dos Cristãos – Pai, Filho (Jesus) e Espírito Santo, automaticamente, excluímos (como deuses, ou seja, não acreditamos que eles sejam deuses) os demais, todos estes que você citou.

Estamos respondendo às suas perguntas, justamente, porque, como você, nós adoramos a racionalidade, o raciocínio e as discussões construtivas. É muito mais interessante responder o comentário de alguém que está realmente buscando respostas, como você, do que, de um preguiçoso, que, como uma esponja, engole tudo o que lhe dizem goela abaixo.

Não vamos responder tudo o que você perguntou, com medo de que depois você comece a nos adorar, como se deuses fôssemos. rsrsrs ( brincadeira…). Mas, apesar de ser difícil manter um diálogo assim digitado, pois, ao vivo, tetê a tetê é bem mais fácil e rápido responder as novas perguntas que nascem de uma resposta que te dermos, responderemos algumas, simplesmente porque não temos resposta para todas.  Enfim, tentaremos apenas falar umas coisas sobre o que acreditamos, o que pensamos poder responder algumas de suas perguntas.

O primeiro ponto é: “Dê-me um ponto de apoio e eu moverei o mundo.” (Arquimedes- matemático). Na matemática da vida também é assim. Precisamos primeiro crer em algo, mesmo que seja na inexistência de Deus ( pode ser o seu primeiro ponto).

O nosso primeiro ponto é crer em Deus, o segundo é crer no Deus trino, este dos cristãos, este da Bíblia. E quanto mais estudamos e lemos sobre Ele, parece “feitiço”, parece “droga”, mais nos apaixonamos. Não que concordemos com tudo o que dizem, nem mesmo na nossa igreja. Não que não tenhamos dúvida. Como temos! Incrível, parece também que quanto mais estudamos, mais temos. Por incrível que pareça concordamos com Nietzsche aqui, “tudo o que o homem pensar é humano”, por isso Deus é tão inexplicável com nossa razão, nossas palavras então nem se fala. Tudo o que conseguimos pensar é menor do nós, não é? Para caber em nós. Não dá para explicar Deus só falando, não dá nem para escrever com tão poucos sinais de pontuação. Às vezes, quero dar uma entonação e não sei como você vai ler! Deus não se explica. O apóstolo Paulo também cria assim quando disse em sua carta aos Coríntios que “agora vemos como por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido. (Co 13:12). Deus é um questão de sentir mesmo. A Bíblia diz que Ele é o amor, a verdade, a vida. O “GRANDE EU SOU.” Inclusive acho que foi Renato Russo (não sei se a autoria é dele) completou o versículo na música dizendo que “é só o amor que conhece o que é verdade”.

Voltemos sempre ao ponto. Primeiro precisamos crer nisso (crer em Deus) e não dá para forçar a crença. Tem um livro que lemos (Ciência e Fé, de Peter James Cousin – ed ABU), em que o autor coloca um exemplo que consideramos interessante. Ele disse: “E se Deus escrevesse no céu, em letras garrafais: EU EXISTO! Você acreditaria? Acreditaria nada. Com certeza, você teria uma explicação científica para o fenômeno. Como disse outro: somos moscas voando dentro de um ambiente, acreditando que temos o universo. Se descobrimos a lei da gravidade, achamos que Deus não existe, porque descobrimos uma regra que determina as coisas.

Uma coisa bem simples que me faz crer que Deus existe é esta nossa discussão idiota sobre a existência Dele. É muita fé no acaso crer que existe toda esta estrutura planetária e que não tem um “Dono da Festa”. Acredito que Ele pode não ser exatamente como nós o imaginamos, ou pode só ser mais do que imaginamos. Mas, para mim, para nós, ele existe. E gostamos de pensar nele assim, como sendo um ser acima da razão, um ser relacional. E aí, vamos amarrando todas as nossas perguntas, as nossas crenças. Um Deus trino (relacional) que explode em amor e faz existir. Faz existir coisas belas,  o amor que produz e faz existir gente, anjos, para se relacionar. Não bonecos, mas pessoas que podem optar por se relacionar com Ele, como nós, com nossos amores e amizades.

Acreditamos que Deus não só visita as pessoas, como ele habita nos nossos corações Imagina, só. Nossos critérios de justiça são tão ridículos. Imagina se Deus os usaria? Acreditamos, sim, que a salvação vem pela crença em Jesus, pois Ele é a justiça de Deus. Pelo menos uma coisa é mais ou menos fácil de você crer: parece que os homens foram surgindo um de cada vez, pois até hoje é assim. Os primeiros, Adão e Eva desobedeceram a Deus ( e não foi fazendo sexo, não, porque sexo é uma coisa não dos deuses, mas de Deus, de tão boa!) na verdade, primeiro entre os anjos aconteceu isso: um Deles ousou estar acima de Deus, depois entre os homens, eles quiseram conhecer como Deus e estar acima de Deus, tudo isso porque fomos criados com inteligência, por isso nenhum porco desobedeceu, nenhuma pedra desobedeceu, mas nós sim. E os princípios do cristianismo (só para quem crer) é que, por um homem o pecado foi imputado ao resto do mundo, mas por um justo ele foi perdoado.

A fé é crer nesta história e aceitá-la. Porque você acha que Deus é ruim porque matou jovens, grávidas e crianças? Se Deus existe, só há um fim: ELE. Ele é o princípio, o meio e o fim. Tudo o mais é pequeno, inútil, simples… Nós é que amamos coisas efêmeras, mas nosso fim é adorá-lo, por bem ou por mal (pode parecer grosso isso, mas não é). Não cremos que Deus seja um ser egoísta, sentado no trono, gritando: “Cantem mais alto!!!” Cremos que  a visão de sua face provoca adoração, que também pode ser entendida como crer e aceitar sua existência. Pense bem, mesmo no inferno, todos crerão que Deus existe, ou seja, adorarão a Ele. A propósito, para nós, o inferno é, de alguma forma, ausência de Deus, o que até então não conhecemos, pois temos o Espírito Santo conosco.  Ceú e inferno não estão nem acima, nem abaixo, com essa nossa divisão de mapa de primeiro mundo, onde os países ricos estão em cima e os pobres em baixo. O Céu é o reino de Deus, que é feito de amor, onde os primeiros serão os últimos e os últimos os primeiros, onde precisa ser como criança para entrar (ou seja, é o lugar da simplicidade, da humildade e da doação), onde a porta é estreita, onde quem acha, pensa que encontrou um tesouro, onde quem quiser ganhar a sua vida, deve perdê-la, onde o sentido de tudo é o de se doar e amar ao próximo como a si mesmo (como é difícil!).

C.S Lewis

O Céu é onde tem um Deus que é o único que foi chamado de Pai e que tem a falta de decoro de amar o pecador e se dar por Ele.

Segue um conselho de C. S. Lewis, um grande pensador cristão: “se você está à procura de uma religião que o deixe confortável, eu não lhe aconselharia o cristianismo”. Agora, um conselho nosso: continue sua busca por respostas, porque a Bíblia fala que quem procura acha.  Se você estiver procurando coisa boa, vai achar, se não, também vai achar, mas você só vai achar o que você estiver procurando. Na verdade, já faz tempo que Deus deve estar te procurando. Nós gostaríamos, sinceramente, de ajudá-lo a encontrar você. Porque Cristianismo não é coisa de besta, não, é de gente que pensa e quer viver melhor e ter compromisso com toda a criação, com o planeta e, principalmente, com o próximo.

Vamos nos falando.

 

 

A arte de relaxar e descansar em Deus, por Joyce Meyer

Joyce traz dicas da arte de relaxar e descansar em Deus 

 

No Brasil aproximadamente 12% da população sofre de ansiedade, segundo o Instituto de Psiquiatria do HC (USP). Este percentual representa quase 24 milhões de brasileiros com ansiedade patológica (e não meramente ansiosos).

A ansiedade é fruto de choques emocionais intensos, mas nos dias de hoje, devido ao estilo de vida cercado de estresse e pressões, cresce cada vez mais o número de pessoas atingidas por esta doença.

Direcionada por Deus, a escritora e ministrante da Palavra de Deus, Joyce Meyer, o livro “Não ande ansioso por coisa alguma”, tratando de um tema que aflige cristãos e não cristãos: a ansiedade. Por incrível que pareça, o fato de ser um cristão não tem feito muita diferença na vida de muitas pessoas. Como a própria Joyce afirma, muitos cristãos não estão desfrutando a “paz que excede todo o entendimento”, a paz que vem de Deus, mas vivem exatamente como as pessoas do mundo, ansiosas, aflitas e preocupadas com as questões do dia a dia, tanto pequenas como grandes.

A paz deve ser uma condição normal e comum a todos nós como crentes em Jesus Cristo, mas apenas alguns poucos dos que fazem parte do povo de Deus estão dela desfrutando como parte de suas vidas diárias. Por vezes, estamos tão acostumados a reagir de uma maneira natural às circunstâncias que vivemos na vida, assim como os incrédulos que nos cercam fazem, que gastamos muito do nosso tempo embaraçados em meio à preocupação e à confusão, quando poderíamos estar desfrutando a vida abundante e a paz que Deus tem para nós!

No livro, Joyce identifica as áreas específicas, reações ou hábitos que permitem a entrada da ansiedade em nossa vida, além de algumas ações dirigidas por Deus que podemos colocar em prática para impedir o acontecimento de certas situações desagradáveis, que nos levam facilmente à ansiedade.

Mais uma vez Joyce usa de suas experiências pessoais com muita franqueza para mostrar como ela mesma já foi uma pessoa extremamente ansiosa e preocupada, mas aprendeu a lançar suas ansiedades sobre o Senhor à medida que conheceu as verdades de Sua Palavra e elas a libertaram para uma vida livre de preocupações.

Para mais informações acerca do livro, acesse: http://www.bellopublicacoes.net/

 

Bahia de todos os Salvos. Diante do Trono faz show em Vitória da Conquista-BA

Ministério de Louvor Diante do Trono agita evento cristão na cidade baiana

Vitória da Conquista-BA se prepara para receber o Ministério de Louvor Diante do Trono, às 20h, na área de eventos do Parque de Exposições. Cumprindo sua missão de vivenciar e incentivar a adoração a Deus nas nações do mundo, influenciando a sociedade e a nova geração de adoradores com excelência, santidade e amor, chegou a vez de Vitória da Conquista fazer novamente festa de louvor ao Rei Jesus junto com o Diante do Trono.

Não deixe de participar deste momento precioso de louvor e adoração a Deus. Você de Vitória da Conquista e região, entre em contato com a organização do evento e garanta já o seu ingresso. O evento está previsto para às 20h. Outras informações com Paulo Andre pelos telefones (77) 3424-7933 / 9979-3620

(Com informações de Thalita Daher) 

“Preciso que ele ore diante de minha sepultura pedindo o perdão de Deus pelo o que eu fiz rogando para que na sua vinda Jesus me desperte do sono da morte para a vida”

Perdemos o amor pela nossa própria vida quando a ganhamos pela graça e ainda acreditamos que Deus pode nos perdoar. É certo que também podemos estar enganados sobre a soberania, a misericórdia e, principalmente, o amor de Deus. Mas a história triste que presenciamos hoje no Rio de Janeiro, quando  um atirador se suicidou após matar pelo menos 11 crianças (13 ainda estão internadas após ataque) na manhã desta quinta-feira em Realengo, humanamente, é impossível crer no perdão divino.

Wellington Menezes de Oliveira

Na carta encontrada com o atirador que abriu fogo dentro da Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, na Zona Oeste do Rio, Wellington Menezes de Oliveira fala de questões religiosas e dá indícios de que o ataque foi premeditado, além de pedir perdão pelo crime. Segundo o hospital para onde foram levadas vítimas, quatro crianças ainda estão em estado grave.

  • Leia trechos da carta

Leia trechos da carta:
“Primeiramente deverão saber que os impuros não poderão me tocar sem luvas, somente os castos ou os que perderam suas castidades após o casamento e não se envolveram em adultério poderão me tocar sem usar luvas, ou seja, nenhum fornicador ou adúltero poderá ter um contato direto comigo, nem nada que seja impuro poderá tocar em meu sangue, nenhum impuro pode ter contato direto com um virgem sem sua permissão, os que cuidarem de meu sepultamento deverão retirar toda a minha vestimenta, me banhar, me secar e me envolver totalmente despido em um lençol branco que está neste prédio, em uma bolsa que deixei na primeira sala do primeiro andar, após me envolverem neste lençol poderão me colocar em meu caixão. Se possível, quero ser sepultado ao lado da sepultura onde minha mãe dorme. Minha mãe se chama Dicéa Menezes de Oliveira e está sepultada no cemitério Murundu. Preciso de visita de um fiel seguidor de Deus em minha sepultura pelo menos uma vez, preciso que ele ore diante de minha sepultura pedindo o perdão de Deus pelo o que eu fiz rogando para que na sua vinda Jesus me desperte do sono da morte para a vida.”

“Eu deixei uma casa em Sepetiba da qual nenhum familiar precisa, existem instituições pobres, financiadas por pessoas generosas que cuidam de animais abandonados, eu quero que esse espaço onde eu passei meus últimos meses seja doado a uma dessas instituições, pois os animais são seres muito desprezados e precisam muito mais de proteção e carinho do que os seres humanos que possuem a vantagem de poder se comunicar, trabalhar para se alimentarem, por isso, os que se apropriarem de minha casa, eu pelo por favor que tenham bom senso e cumpram o meu pedido, por cumprindo o meu pedido, automaticamente estarão cumprindo a vontade dos pais que desejavam passar esse imóvel para meu nome e todos sabem disso, senão cumprirem meu pedido, automaticamente estarão desrespeitando a vontade dos pais, o que prova que vocês não tem nenhuma consideração pelos nossos pais que já dormem, eu acredito que todos vocês tenham alguma consideração pelos nossos pais, provem isso fazendo o que eu pedi.”

(Com informações do G1, CPADnews e Pavablog)

Por que Dilma esqueceu de agradecer a Deus

 

Em seu primeiro discurso, depois de ter sido eleita a primeira mulher a governar o Brasil nos próximos quatro anos, a partir de 2011, a ex-ministra chefe da Casa Civil, Dilma Roussef pôs mais fogo na lenha ao se recusar a agradecer ou fazer menção a Deus.

Uma descrente? Pode ser. Esquecimento, muitos duvidam. O certo é que não é de hoje que a futura presidenta do Brasil, eleita pelo povo, tem se esquecido de fazer menção ao nome de Jesus. Será que Ele se lembrará dela no futuro?

Deus é misericórdia! Oremos por nosso país e pela nossa presidente.

Categorias:Sem categoria Tags:, , , ,
%d blogueiros gostam disto: